Sumidoiro's Blog

21/05/2010

VIANA: A TERRA, O NOME

Filed under: Uncategorized — sumidoiro @ 7:01 pm

— Atualizado —

CLIQUE AQUI: “Um nome cá, outro acolá”.

Anúncios

18 Comentários »

  1. Belíssimo trabalho. Parabéns pela riqueza de detalhes no resgate da história. De fácil e agradável leitura, o trabalho toca os corações, não só dos mineiros, mas de todos os brasileiros.
    O passado não é um lugar para morar, mas um bom lugar bom de se visitar de vez em quando e nos servir de referência para seguir em frente, cientes de que o futuro é uma incógnita, porém moldado no presente que, por sua vez, tem relação direta com o legado de gerações passadas.
    Um abraço,
    Vanda Souto.

    Comentário por Vanda Souto — 04/08/2011 @ 10:51 am | Responder

    • Vanda:
      Vejo que você gosta de passear no passado. Quem conhece nossa história sabe que vivemos em uma terra maravilhosa. Seu entusiasmo me anima a continuar escrevendo. Aguarde, pois estou preparando outros textos.
      Um abraço do
      Eduardo.

      Comentário por sumidoiro — 04/08/2011 @ 9:30 pm | Responder

  2. Pena é que não se acabe de vez com a confusão tremenda de AFIRMAR que Caramuru era natural de Viana do Castelo, que na altura nem tinha o “de castelo”.

    Comentário por REDE ESKILO — 03/04/2012 @ 7:26 pm | Responder

    • Prezado Leitor:
      A construção do castelo foi concluída em 1572. O nome foi incorporado ao da cidade posteriormente. No Post “Viana: a terra, o nome” não se diz que Caramuru tivesse algo a ver com o castelo. Entretanto, se a comunidade de Viana do Castelo trata-o como filho da terra e até fez um monumento em sua homenagem, por que o autor não iria acreditar?
      Cordialmente,
      Eduardo.

      Comentário por sumidoiro — 03/04/2012 @ 7:56 pm | Responder

      • Caro Eduardo, em Viana, a figura do Caramuru foi imposta por um Presidente da Câmara. Ninguém em Viana do Castelo o reconhece como “herói” ou outra coisa qualquer, e por isso, quem “investiga” só deve acreditar na verdade dos factos e não em ecos errados. Por outro lado, a construção do castelo não foi “concluída”, a data de que fala refere-se à actual configuração, não mais do que isso. Sinceramente, sendo vianense, não gostei do post.
        Cumprimentos.

        Comentário por Eskilo - Casa Criativa — 19/04/2013 @ 11:38 pm

      • Ao Eskilo – Casa Criativa:

        Primeiramente agradeço o comentário. Já tive conhecimento de que nem todos concordam com a naturalidade atribuída a Caramuru. Também não defendo que os portugueses o vejam como herói, mas nós, brasileiros, o temos como tal, herói nosso. Cabe lembrar que incontáveis minhotos aportaram no Brasil, desde a época do descobrimento.

        Quanto à existência do castelo, trata-se de acreditar ou não no que está desenhado no mapa de Lucas Janszoom Waghenaer, de 1583, indicando a configuração e o lugar exato onde existiria a edificação. Faço o convite para que se observe o mapa publicado no Post “Viana: a terra o nome”. O mapa não é uma mera ficção, é um documento geográfico onde está representada a aparência real da costa portuguesa.

        Com os cumprimentos do Eduardo.

        Comentário por sumidoiro — 22/04/2013 @ 10:22 am

      • O senhor leitor que assina ESKILO, dizendo ser vianense, revela na verdade um grande desconhecimento da sua região e respectiva história. Sem dúvida que o sr. Eduardo de Paula merece todo o respeito, já que a sua “visão” se baseia em factos comprovados. Basta analisar os documentos constantes do arquivo distrital e os depositados na Torre do Tombo, assim como os encontrados na sé catedral de Braga. Não resta menor dúvida quanto à naturalidade de Caramuru e, nesse caso, a questão da denominação da hoje cidade de Viana do Castelo fica totalmente irrelevante. Acusar um cronista, por louvar as verdades que muitos desconhecem, não parece ser digno de sua parte. No que concerne à real história da nossa Viana, devidamente documentada mas dispersa em vários locais, posso garantir que surpresas seriam muitas para si e para mesmo inúmeros outros vianenses. É muito bom que haja pessoas interessadas em revelar tanta história esquecida, mesmo que para isso tenhamos de estar sujeitos a comentários algo desajustados como o seu. Saliento que, sem qualquer dúvida, existem fortes laços históricos e genéticos entre vianenses e o Brasil, destacando-se que grande parte do majestoso Brasil se deve às gentes desta notável região do Alto Minho. Em quase todas famílias daqui há um laço secular que se identifica em milhares de outras famílias brasileiras. Como já dizia um grande historiador português: não esquecer que Viana (hoje do Castelo) era a pequena Lisboa do império. Dizer que em Viana ninguém reconhece o Caramuru como herói, isso sim, revela uma total ignorância cultural e um altruísmo “parolo” de alguém que pensa ser vianense. Mais, fica ridículo, pois que hoje se sabe perfeitamente a proveniência familiar desse Diogo Álvares Correia. Claro que Viana tem muitos heróis, também desconhecidos pelo seu próprio povo, entre eles nomes ilustres militares e civis que honraram Viana em terras de Vera Cruz.

        Comentário por Passos — 25/12/2013 @ 11:20 pm

      • Senhor Passos:
        Seu aplauso anima e reforça meu entusiasmo pela terra e povo de Viana.
        Muito obrigado. Cordialmente, Eduardo.

        Comentário por sumidoiro — 26/12/2013 @ 9:37 am

  3. Muito bom o seu blog. Gostei muito. Sou um historiador autodidata, poeta e dramaturgo aqui em Olinda – Pernambuco / Marcos Raphael Cordeiro.

    Comentário por marcosraphaelcordeiro — 06/05/2012 @ 12:25 pm | Responder

    • Marcos:
      Muito obrigado. Sei que Pernambuco tem muitas histórias, várias ligadas a nós mineiros. As terras de alguns dos meus antepassados, em Minas, faziam parte do bispado de Pernambuco.
      Um abraço do Eduardo.

      Comentário por sumidoiro — 06/05/2012 @ 12:37 pm | Responder

  4. Gostaria de saber se tem registros de regentes, reis ou príncipes Vianna, em Portugual. Obrigado desde já.

    Comentário por Victor do Nascimento Vianna — 19/11/2012 @ 2:34 pm | Responder

    • Victor: De Portugal, não possuo registros com essas características. Da família Vianna, da qual falo nos meus Posts, possuo muitos documentos, começando no início do século XVIII, mas no Brasil.
      Cordialmente, Eduardo.

      Comentário por sumidoiro — 19/11/2012 @ 10:47 pm | Responder

  5. Estou apaixonada pelo trabalho exaustivo do sr. Eduardo de Paula. Sempre fui rata de biblioteca em busca das minhas raízes. Conhecer aqui a história dos meus antepassados, faz-me agradecer à Deus por este momento. Enviei o link para o meu espaço no facebook e para todos da minha família de quem tenho email. Meu nome é Maria Emília de Magalhães Viana, filha de Geraldo Gomes Viana e Carmen Coelho de Magalhães Viana, somos sete filhos, quinze netos e cinco bisnetos. Voltando ao passado, só havia ganho, de meu tio Álvaro Vianna Filho, cópia do único livro publicado por meu avô Alvaro Augusto de Azevedo Viana, Chama-se “Para quê?” e ele fundou ou participava do movimento simbolista. Consta sua biografia num livro chamado “Figuras Notáveis de Minas Gerais”, que papai me presenteou. Assim como a biografia do meu tio avô, que foi ministro. De minha avó, Esperança Gomes Vianna, cheguei a saber que era baiana, de Lençóis, que já visitei, mas não consegui na igreja os documentos de batismo que tinham sido enviados para BH, para serem arquivados. Depois, me disseram que ela vivia em Lençóis e nascera perto de Lençóis, em Jesus da Lapa. Quero ir até lá. A Curvelo, já fui várias vezes e consegui fazer uma montagem linda de fotos de minha avó Esperança e meu avó Álvaro. As fotos de meus bisavós, Felicíssimo e Maria Sérgia, conheci graças a este trabalho maravilhoso e, lendo até o final, ainda vi as fotos dos meus trisavós(?). Aí descobri porque a vida inteira eu adorei andar de tranças, mesmo depois de adulta. Vou ler, reler e me apaixonar cada vez mais por este trabalho e desejo a você muitos anos de vida para que continue a nos enriquecer com estas páginas, para nossos filhos, netos e bisnetos, quando daqui passarmos para o outro plano. Que Deus te abençoe e à sua família.
    Você deve ser parente da esposa do tio Álvaro Vianna Filho, tia Lavínia de Paula Vianna. Papai retirou o duplo n para facilitar a escrita da família.
    Parabéns. Gostaria de lhe repassar, se quiser, algumas fotos e dados para enriquecer seu estudo.
    Por tudo isso, o dia de hoje foi de sorte para mim e será daqui para a frente.
    Maria Emília de Magalhães Viana, mas me chamam Emília. Abraços energéticos.

    Comentário por Maria Emília de Magalhães Viana — 05/10/2013 @ 3:13 pm | Responder

    • Maria Emília:
      Com alegria recebo sua mensagem. Muito obrigado pelos comentários. Vou entrar em contato com você por email.
      Um abraço do Eduardo

      Comentário por sumidoiro — 05/10/2013 @ 4:51 pm | Responder

  6. Últimamente, tenho tido bastante curiosidade sobre o sobrenome Vianna, queria entender certas coisas sobre a nossa ascendência portuguesa. Meu bisavô Raimundo Viana de Castro, juntamente com dois irmãos, vieram para cá e aqui constituíram família. Não sabemos a motivação da vinda deles e porque vieram apenas eles. Gostei bastante das páginas mostradas e dos relatos sobre a origem do nome, principalmente da lenda.

    Comentário por Cláudia Regina Vianna dos Santos Rebouças — 02/07/2014 @ 11:30 am | Responder

    • Cláudia:
      Vianas são muitos. Conheço melhor os Viannas que se fixaram na antiga comarca do Sabará. Vieram da região do Minho, aliás, como muitos outros portugueses que povoaram Minas Gerais. O caminho para descobrir os antepassados passa pelos arquivos eclesiásticos e históricos.
      Um abraço do Eduardo.

      Comentário por sumidoiro — 02/07/2014 @ 2:23 pm | Responder

  7. Estive lendo sua matéria e achei muito interessante. Estou em busca das minhas raízes genealógicas e descobri que uma das minhas tataravós se chamava Cecília Vianna. Não sei ao certo qual cidade, mas ela tinha raízes em Minas Gerais, na região de Belo Horizonte, Paraopeba e Curvelo. Pode ser que fosse de outra cidade próxima da região. uma tia avó minha disse que ela era portuguesa ou descendente de portuguesa. Ela foi casada com Bertolino Pinto Ribeiro, teve alguns filhos, um deles é meu bisavô, Pedro Viana Ribeiro, que se casou com minha bisavó Ana Mendonça e vieram para Osasco-SP. Creio que foi o único ramo dessa família que veio pra SP. Se você tiver informações a respeito da família de Cecília Vianna ou souber de alguém que pode me ajudar eu ficaria muito grato.
    Forte Abraço! Renan.

    Comentário por Renan Oliveira Ribeiro — 10/10/2015 @ 11:16 pm | Responder

    • Renan:
      Pela suas descrições e referência a Paraopeba e Curvelo, é bem possível que tenha ancestralidade em Bernardo de Souza Vianna, o mais longínquo antepassado desses Viannas de quem falamos. Procure o registro de óbito dela, que nele deve constar onde nasceu.
      Um abraço do Eduardo.

      Comentário por sumidoiro — 11/10/2015 @ 7:56 am | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: